racismo e futebol

O outro dia, há umas semanas, Eto’o fez intençom de abandoar o campo. Samuel Eto’o é jogador de fútebol, concretamente do FC Barcelona, e vem de ser escolhido por segundo ano consecutivo melhor jogador africano. Como tantos outros desportistas africanos ou latinoamericanos, emigrou a Europa na procura de trabalho, e desde entao leva anos aturando insultos racistas nos campos de fútebol. O outro dia, quando uma parte do público comezou a imitar os gestos dum mono, Eto’o botou a andar cara aos vestiarios. Já decidira e avisara há tempo que nao estava disposto a seguir aturando por mais tempo esse tipo de comportamentos, e só a intervençom dos seus próprios companheiros impediu que abandoara o campo, entre outras coisas porque se o chega fazer mui provavelmente teriam sancionado ao equipo anfitriom, o Zaragoza, ou incluso suspendido o partido nesse mesmo momento. Compre aclarar tamém que La Romareda, o estádio do Zaragoza, é desde que tenho memória refúgio de neonazis e fascistas, e de feito nesta cidade produzem-se ataques e agressons fascistas desde há quando menos uns quince anos.

 (Mais)

escolarizaçom em galego

Os meus filhos acodem à Escola Infantil Municipal de Lavadores, um extranho oasis num mundo onde os serviços públicos se desmoronam diante da incredulidade de trabalhadores e usuários. Porém as moças que trabalham ali nao som funcionárias; a gestom da escola é uma concessom municipal que o Concelho cede para a sua exploraçom.

Contodo, o seu funcionamento semelha-me modélico. Polo seu modelo educativo, polo que pagamos directamente os usuários –uma quantidade que se calcula em funçom da renda e que está a anos-luz das escolas privadas-, e polo espaço de participaçom que abrem para maes e paes. A verdade é que estou a hóstia de contente de ter conseguido praça ali, e porque por uma vez há algo que funciona para variar. O Concelho vigila o seu funcionamento de perto, e de feito foi a pressom dos usuários a que obrigou à escola a abrir uma canle de comunicaçom fluida cara aos paes e maes.

(Por certo, um aviso para aqueles com crianças de menos de tres anos sem escolarizar: agora é o momento de solicitar praça nalguma das Escolas Municipais ou da Junta para o curso escolar que comezará em setembro. Se nao o fazedes agora, o prazo pecha-se e logo já nao é possível aceder nem às escolas nem aos cheques escolares que concedem para aqueles que ficam sem praça. Chamade por telefone ou acodide ao Concelho e mais ao edifício da Junta para solicitar mais informaçom. Se nao o fazedes agora, logo já nao será possível, e dentro duns meses podede-vos arrependir!)

 (Mais)

dava-te assim!

Estes dias atrás apareceu na imprensa local de Vigo a notícia da concessom do Prémio Fernández del Riego de jornalismo, dotado com 12.000 euraços, a Eduardo Rolland, jornalista do Faro de Vigo. Tenho que dizer que gosto deste rapaz, assim que mira, alegro-me por ele.

Ademais, o artigo em questom expom sem ambages a mesquinhade de muitos castelam-falantes, e tamem galego-falantes, que acham ridícula e risível a normalizaçom do galego em ámbitos históricamente exclusivos do castelam. Algo que se cura indo dar uma volta polo país vizinho, onde a nossa língua está absolutamente normalizada desde há séculos. No que nao concordo com Rolland é em que a nosa seja uma língua pequena.

Para bem ou para mal, somos muitos milhoes de pessoas as que falamos galego-portugués ao longo deste planeta, e para amostra, eu já há meses que lim o último livro do Harry Potter, que saiu a venda em portugués ao mesmo tempo que a ediçom inglesa.

 (Mais)