a morte de Metak

Ao pensar em escreber estas linhas, decato-me que levo tuda uma vida adicando-me à música. Desde os treze ou catorce anos nunca deixei de tocar, primeiro em grupos de punk e rock, mais tarde em orquestras, para finalmente na actualidade recuncar na música tradicional, que foi a primeira formaçom que recebim. De feito, e mália que possuo diversas titulaçons, umas relacionadas coa música e outras nao, o único trabalho que tivem na minha vida foi o de músico profisional, o único que me deu um salário todos os meses durante anos, e o que me permitiu no seu dia independizar-me da casa dos meus paes. É por isso que me considero com algo a dizer ao respeito da que tanto se fala “crise do disco”. E estas reflexons veñem a conto da desapariçom da discográfica Metak (1), da que veño de enterar-me através do último número do Diagonal (2).

 (Mais)

sexo em Hogwarts

Os três amigos deixárom atrás o retrato da Senhora Gorda e penetrárom na sala comum dos Gryffindor. Por fim, depois de muita espera, conseguiram ficar sós. Levavam já tempo curtindo em segredo na Sala das Necessidades, mas esta era a primeira vez, ao estar tudo mundo de férias, que dispunham dos dormitórios enteiramente para si. Dirigirom-se cara ao dos rapazes, pois o encantamento do das rapazas, aquele que nao deixava entrar neles aos rapazes, continuava a funcionar eficazmente. Hermione, que seguia a ser a melhor em encantamentos nao verbais da aula de Feitiços, ergueu a sua varinha, e deseguido as camas de Harry e Ron ajuntarom-se convertindo-se numa soa o duplo de larga. Apos uns instantes de olhadelas e sorrisos nervosos, os três aproximarom-se. Os seus coraçons latejavam com força.

 (Mais)