sou uma menina de papá

Sou uma menina de papá e de mamá, porque o domingo nao fui à manifestaçao. A gente que conhezo trabalha de segunda a sexta numa oficina e os fins de semana em sua casa fazendo horas extras. Nao é por prazer, levamos sem sair desde o Natal para pagar a nossa vivenda digna. Na manifestaçao insultaram e desqualificaram à gente que está na minha mesma situaçao, e por isso peço um pouco mais de respeito. Os políticos nao escuitam as manifestaçoes, assim que eu prefiro luitar pelo meu futuro por mim mesma. Se tenho tempo, vou a elas, se nao, trabalho. Se isso fai que a minha vida seja cutre, sem sentido e que seja uma menina de papá, sim, senhores, o sou.

Como dizia Apu o outro dia num capítulo dos Simpsons, nao sei qual parte de este texto corrigir primeiro. É uma carta aparecida na ediçom impresa do 20 Minutos na terça 23 de maio, com ánimo de criar discussao, como todas as que lá aparezem. Desde logo, uma menina de papá nao sei, mas um bocadinho ghilipolhas sim é, esta mulherinha.

 (Mais)

a realidade supera à ficçom

No Diagonal nº 28 do 12 de abril aparez uma brincadeira, no suplemento de humor que insertam cada número nas páginas centrais, na que Bem Ladem reivindica num vídeo feito público pela cadea Al Jazeera a convocatória dos macro-botelhons “que se multiplicam pela geografia espanhola nas últimas semanas” [1].

Infieis, nunca mais poderedes durmir tranquilos, porque em qualquer lugar do mundo os nossos muyahidenes estam preparados para atacar o vosso jeito de vida e impediros o descanso”. E é que olhando a alarma social criada pelos mídia com este tema, que parecia que se achegava o apocalipse com cada nova convocatória, dava a sensaçom de que efetivamente uma reivindicaçom do Bem Ladem ia-se produzir em qualquer momento. A broma continuava expondo as reacçons de autoridades, políticos e medios de comunicaçom a este comunicado.

 (Mais)

da minha pele cara adentro mando eu

Entre os panfletos que repartiam na mani do 1º de Maio (curiosamente, este ano sem ir na sua procura apanhei-os tudos) derom-me um da Asociaçom Viguesa de Estudos da Maria. Nele convidam a participar na primeira convocatoria da Global Marijuana March em Vigo, que terá lugar o vindeiro 6 de maio a partires das 19:00 h. na praza da Constituiçom, e na que se exigirá a despenalizaçom do consumo de drogas. Podedes visitar o seu site e descarregar o panfleto em formato PDF em http://humano.ya.com/ave_maria.

Esta asociaçom leva já anos funcionando em Vigo, e sao conhecidos de cara ao público por serem os convocantes do Sao Canuto todos os anos. Tenho de reconhecer que, embora levo consumindo haxixe e marijuana de jeito habitual nos últimos vinte anos, nunca participei em actos deste tipo nem organicei-me em asociaçom alguma. Porém, estou a prol da despenalizaçom absoluta do consumo de drogas, e por suposto, este tipo de iniciativas tenhem todo o meu apoio.

Mas o que chamou a minha atençom, e o motivo pelo que escrebo estas linhas, é que na parte de atrás do panfleto, e tras uma breve apresentaçom das propriedades do cânhamo, incluírom uma série de recomendaçons dirigidas a aquelas pessoas que se iníciam no consumo destas sustâncias. Sao umas recomendaçons muito boas, surgidas sem dúvida de gente que leva muitos anos fumando. Nunca antes vira-as assim, numeradas e expostas de jeito tao didático, e como acho que uma mui boa ideia difundí-las, colo-as a continuaçom. Como bem dizem eles, fagades o que fagades, as drogas deveriam empregar-se para milhorar a qualidade das nossas vidas, nao para empeorá-la. Dispor da maior informaçom possível, e mais vindo de gente experimentada, pode ser uma ajuda para tomar a decissom mais ajeitada.

 (Mais)